top of page

Onde foi que eu me perdi de mim?

Por: Jéssica Milato

Onde foi que eu me perdi de mim?

Essa pergunta tem ecoado na minha mente nos últimos dias, e sinto um aperto no peito só de pensar nisso. Há algum tempo atrás, eu era feliz e realizada criando histórias, me transportando para mundos imaginários e dando vida a personagens fictícios. Eu me sentia completa ao escrever meus livros, e não havia nada mais importante do que isso.

Mas hoje, tudo é diferente.

Eu me tornei editora, e embora seja uma profissão que me traga alegria em ajudar novos autores a publicar suas obras e compartilhar suas histórias com o mundo, eu me sinto triste por não criar as minhas próprias. Eu me abdiquei de mim mesma para me dedicar aos outros, e agora me vejo sem tempo e sem energia para voltar a escrever.

Sinto falta de me perder em meus próprios pensamentos, de me deixar levar pelas histórias que crio e de me sentir realizada ao ver as palavras ganharem vida. Sinto falta de me expressar através da escrita, de poder colocar no papel tudo o que está dentro de mim e compartilhar isso com os outros.

Mas não é tarde demais.

Eu sei que ainda há tempo para encontrar o caminho de volta para mim mesma. Ainda posso encontrar momentos para escrever, para criar, para me reconectar com aquilo que me faz feliz e realizada.

É um processo que pode ser difícil, mas é possível.

Eu só preciso ter esperança e acreditar que sou capaz de me reencontrar e de voltar a escrever a minha própria história.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Feminismo

Commentaires


bottom of page